Notícias & Artigos

Por que contratar o seguro de RC para a gestão de riscos profissionais?

  Por muito tempo na América Latina, as atividades profissionais desfrutaram de visível respeito na sociedade e algumas chegavam a ser reverenciadas por toda a opinião pública. Advogados, médicos e engenheiros, por exemplo, podiam atuar livremente sem o receio de serem questionados, pois suas habilidades eram amplamente reconhecidas pelo simples motivo de que possuíam um diploma que lhes conferia grande prestígio.

  Mas, nas últimas décadas, essa realidade foi profundamente transformada por conta do processo de globalização e por influência da cultura internacional de reparação de danos. A intensidade do processo foi tal que, hoje, todas as atividades profissionais passaram a ser vistas igualmente na região como mera prestação de serviços remunerados.

Com base nessa nova visão, as pessoas passaram a não mais tolerar qualquer forma de erro no exercício profissional e, por isso, já não demonstram qualquer receio em procurar a justiça em busca de reparação quando se julgam contrariadas em seus direitos de consumidor. Aliás, na América Latina, essa nova compreensão consolidou leis particularmente severas, que suscitam decisões quase sempre em prol do consumidor.

  Um só erro profissional pode colocar em cheque as atividades de toda uma empresa de serviços. Basta, por exemplo, que um escritório de advocacia perca o prazo em uma ação judicial de alto valor. Ou que uma firma de engenharia incorra em um erro de cálculo ou ainda que uma agencia de turismo não informe a necessidade de vacina para seu cliente. São eventos que podem gerar não apenas prejuízos insuportáveis aos profissionais, mas também danos à reputação por conta da propaganda negativa na mídia e redes sociais.

  Tendo em vista que falhas profissionais ocorrem, as empresas prestadoras de serviços começaram a perceber que precisam estar preparadas financeiramente para reparar o consumidor de acordo com a nova realidade. Trata-se, contudo, de uma tarefa complexa, pois entre outros aspectos, os valores de indenização podem variar em mais de 1 mil%, sobretudo em função do que é compreendido como dano moral. Sendo assim, como atender esses novos direitos do consumidor? A resposta para essa importante pergunta foi encontrada no mercado de seguros.

  Ao mesmo tempo em que, a partir da segunda metade do século 20, cresceu no ocidente a conscientização acerca dos direitos dos consumidores, seguradoras de vários países se dispuseram a estudar e assumir riscos associados com os prestadores de serviços. Dessa forma, o seguro de Responsabilidade Civil (RC) Profissional, também conhecido como Errors & Omissions (E&O), ganhou força e rapidamente chegou à América Latina.

  Com o tempo, essa importante proteção amadureceu. Hoje, entre outros benefícios, a apólice pode cobrir gastos com advogados, efetuar a devida indenização nos eventos de responsabilização, custear ações de comunicação para defender a imagem do profissional prejudicado pelo evento e contribuir com a gestão dos riscos envolvidos.

  O corretor de seguros, em particular, tem exercido um papel essencial ao buscar compreender com profundidade os riscos do segurado para recomendar ações preventivas em conjunto com uma apólice sob medida. Para essa tarefa, muitos têm obtido sucesso ao escolher seguradoras sólidas e experientes a fim de estabelecer parcerias longevas, com base em uma visão global.

  Para proteger o profissional e, consequentemente, os direitos do consumidor, a contratação desse seguro hoje representa um importante diferencial competitivo para o fornecedor de serviços. Essa é uma oportunidade que pode ser levada ao conhecimento de milhões de profissionais da América Latina. Por isso, uma das maiores missões dos corretores e seguradoras é fazer com que essa mensagem se dissemine em toda a região, onde a expansão do seguro de RC Profissional está apenas no começo.

* Rodrigo Granetto é diretor regional de Professional Indemnity da Chubb America Latina

Fonte: https://www.revistaapolice.com.br/2019/08/por-que-contratar-seguro-para-a-gestao-de-riscos-profissionais/