Notícias & Artigos

Seguro viagem é aliado do turista em situações de emergência

 Junto com o verão também chega a hora de fazer as malas para viajar. Esse é um momento que normalmente pode ser muito agradável, mesmo que a viagem seja a negócios. O problema é que quando se está longe de casa, nem sempre o plano de saúde que você contratou oferece cobertura e, caso aconteça algum imprevisto, contar com um seguro viagem é fundamental.

Seja no Brasil ou no exterior, o produto é um aliado que garante a tranquilidade do consumidor em diversas situações que podem ocorrer durante o percurso, seja uma emergência médica, um cancelamento do voo, extravio de bagagem e, nos piores casos, acidentes fatais.

 De acordo com Alexandre Camargo, country Manager Brasil da Assist Card, os gastos médicos no exterior geralmente são bastante elevados, especialmente nos Estados Unidos, onde uma simples consulta pode custar até US$ 3.000,00. “Um turista que viaja sem seguro e necessita de atendimento médico de urgência estará sujeito a altos desembolsos financeiros”, afirma o executivo.

 Muitas pessoas não sabem, mas 26 países estabeleceram o acordo de Schengen, que obriga a contratação de um seguro viagem para turistas. No tratado, foi estipulado um valor mínimo de 30 mil euros para cada viajante.

Contudo, apesar do valor estipulado, o turista irá pagar um preço de acordo com o total de dias viajando pelo país. Normalmente, o valor do seguro para destinos internacionais é de R$ 9 a R$ 25 por dia. “As pessoas têm o pensamento de que contratar o produto é um gasto extra e só vão se dar conta da sua importância em um momento de aperto. É preciso deixar para trás essa cultura e não pensarmos no impacto financeiro”, afirma Renato Rotta, da Allianz Travel.

 O produto não cobre, por exemplo, emergências resultadas da prática de esportes sem que haja essa cobertura no seguro contratado, ou se o passageiro quiser uma consulta de rotina. Por isso é importante ficar atento ao contratar uma apólice para que ela supra todas as suas necessidades.

 No primeiro semestre de 2019, as contratações do seguro viagem movimentaram R$ 295,47 milhões, com expansão de 22,87% em relação aos R$ 240,47 milhões registrados de janeiro a junho de 2018, de acordo com a FenaPrevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida).

 No mercado há várias companhias que são especialistas em seguro viagem e que efetuam a contratação de maneira bem simples. Além das agências de turismo, muitas vezes a própria empresa da bandeira do cartão de crédito usado para comprar a passagem aérea oferece a proteção sem nenhum custo.

 Embora muitos pensem que a proteção só é necessária quando a viagem é para fora do Brasil, o número de pessoas que aderiram ao seguro para destinos nacionais aumentou. “A população passou a se preocupar mais em garantir a própria proteção quando viaja dentro do país de origem, pois entendeu que a segurança não deve ser limitada às viagens longas ou curtas. Contratempos podem ocorrer em qualquer lugar”, diz Fernanda Pasquarelli, diretora de Vida, Previdência e Investimentos da Porto Seguro.

 As perspectivas do setor são animadoras. Segundo uma análise da Capital Research, devido ao fato que das nove datas oficializadas pelo calendário nacional, seis cairão em segundas ou sextas-feiras, o brasileiro estará mais propenso a viajar. “Estamos otimistas para esse ano. Outros fatores que irão impulsionar a venda do seguro viagem são a melhoria da economia e a intenção do governo em agir para reduzir preço das passagens aéreas no Brasil. É esperado que o segmento cresça 15% a mais do que 2019”, ressalta Daniela Cataldo, especialista em seguro viagem da Compara.

 

 

Nicole Fraga
Revista Apólice

Fonte: https://www.revistaapolice.com.br/2020/01/seguro-viagem-e-aliado-do-turista-em-situacoes-de-emergencia/